MISSÕES


Amados Irmãos em Cristo,

Nós, os membros da Direcção Nacional da Comunhão de Igrejas de Irmãos em Portugal (CIIP), chegamos a vós, por meio desta carta, com o propósito de estreitar a nossa comunhão. Neste caso específico numa manifestação muito prática de nosso amor para com o nosso Senhor através da nossa participação no trabalho missionário.

A Comissão Missionária não está a receber ofertas suficientes para satisfazer as necessidades básicas dos nossos amados irmãos que deixaram as suas vidas profissionais para servirem ao Senhor.

Aqui temos uma oportunidade excelente de manifestar a nossa comunhão como “cooperadores em Cristo Jesus” (Rom. 16:3), e “cooperando no evangelho” (Fil.1:5). Se falamos de comunhão sem pôr em prática actos de comunhão, estamos simplesmente a enganarmo-nos com falsos discursos (cfr. Tiago 1: 22).

A Direcção da Comunhão de Igrejas de irmãos sugere que cada Igreja examine, perante o Senhor, a sua participação nesta obra de glorificar Cristo através da comunicação do evangelho. Aquelas que já participam considerem a possibilidade de aumentar a sua participação e, as que não têm participado ponderem a possibilidade de começar a participar. Estamos convencidos que Deus ricamente recompensará cada esforço porque Ele “ama ao que dá com alegria” (II Cor. 9: 7). E não foi o nosso Senhor Jesus que disse: “Dai, e ser-vos-á dado; boa medida, recalcada, sacudida e transbordando, vos deitarão no vosso regaço” ( Luc. 6: 38 ) ?

Às vezes existe no nosso meio uma relutância de falar sobre ofertas monetárias mas é um assunto que a Palavra de Deus apresenta numa maneira muito directa. A Bíblia ensina que dar é uma graça e uma bênção (veja II Cor. 8:1, 6; e 9: 5 ), é um serviço a favor dos santos (II Cor. 9: 1 ) e que “também abunda em muitas graças, que se dão a Deus” ( II Cor. 9: 12 ). Além de tudo isto Deus recompensa ricamente de maneira que “o que semeia em abundância, em abundância também ceifará” (II Cor. 9: 6 ). Se Deus exigia do Seu Povo o dízimo pela Lei, nós, que conhecemos a graça de nosso Senhor Jesus Cristo, que deu tanto por nós, como é que podemos dar menos? Será que essa relutância de ensinar a dar, esteja a privar crentes e igrejas de bênçãos que Deus quer dar?

Mais uma vez oferecemo-nos ao vosso dispor em algo que possamos fazer para ajudar a igreja local onde os amados irmãos estão a servir a Deus. Não hesitem em nos contactar.

Sem outro assunto, subscrevemo-nos com amor em Cristo Jesus nosso Senhor.

A Direcção da Comunhão de Igrejas de Irmãos em Portugal,
Samuel Pereira, Joel Pereira, Victor Encarnação, António Alves, Ivan Fletcher.